Inscreva-se

Home > Planta > Uma Breve Descrição dos Terpenos da Cannabis
1.1k
6 min

Uma Breve Descrição dos Terpenos da Cannabis

Os terpenos são um tema recorrente no mundo da cannabis e tornaram-se famosos por seus aromas únicos. No entanto, apesar de seu uso ser bastante documentado ao longo da história, eles não foram ainda reconhecidos pela medicina por seu valor terapêutico e, portanto, continuam sendo pouco compreendidos pelo público.

Vamos começar com uma definição simples, antes de nos aventurarmos a explorar o que isso significa para os usuários da cannabis medicinal.

Terpeno [definição mais ampla]: qualquer um dos numerosos hidrocarbonetos encontrados especialmente em óleos essenciais, resinas e bálsamos.

Embora os terpenos sejam encontrados em grande parte do mundo natural, eles são especialmente importantes na planta da cannabis. De fato, a cannabis é um caso muito especial por conter muitos terpenos que normalmente são encontrados apenas em uma ou duas outras espécies de plantas (veremos em seguida exemplos específicos). A maioria desses compostos é produzida juntamente com canabinoides no topo da florada ou nos brotos da cannabis madura. Em termos conceituais, podemos pensar nos terpenos como algo muito semelhantes a óleos essenciais.

Terpenos Comuns

Embora existam pelo menos 150 terpenos encontrados em qualquer fenótipo de cannabis, alguns são mais comuns que outros. Obviamente, os perfis de terpenos variam de uma cepa a outra, e isso é parte do que dá a certos cultivares de cannabis os aromas e sabores que são como sua marca registrada. Entre os terpenos mais comuns podemos mencionar os descritos a seguir.

Mirceno

Este terpeno pode ser encontrado na manga, no lúpulo e no manjericão. De acordo com uma análise metabólica de 11 cepas populares feita em 2010, também é o terpeno mais prevalente na cannabis. Muitos usuários relatam que o mirceno reduz a dor e promove um relaxamento profundo. Estudos mostram que o terpeno é capaz de relaxar os neurônios motores e prolongar o tempo de sono.  

Limoneno

Um dos terpenos mais notáveis da cannabis, o limoneno confere às cepas em que está presente um delicioso sabor cítrico. Estimula e vitaliza a mente, e pode ter um amplo espectro de benefícios à saúde.

O limoneno reduz a ansiedade e o estresse, e parece ter ação bioquímica sobre problemas como inflamação, dor crônica e até câncer. Também é altamente biodisponível.

Terpinoleno

Encontrado em plantas perfumadas como noz-moscada, maçã e lilases, o terpinoleno fornece às variedades de cannabis como a Jack Herer alguns de seus sabores característicos de pinheiro. Como o mirceno, o terpinoleno é altamente sedativo e parece promover sono de boa qualidade. O terpinoleno também mostra potencial médico como um poderoso antiproliferante que retarda o crescimento de células cancerígenas.

β-cariofileno

Esse terpeno ativa o sistema endocanabinoide de forma tão marcante que alguns pesquisadores defendem que ele seja reclassificado como canabinoide. De fato, um estudo de 2011 feito por um dos pioneiro da cannabis, Dr. Ethan Russo, chamou o β-cariofileno de “primeiro fitocanabinoide comprovado além do gênero cannabis”. Em outras palavras, o β-cariofileno e o corpo humano andam de mãos dadas.

Comumente encontrado em pimenta preta, canela e cravo, este composto fornece à cannabis um sabor picante e herbal. O β-cariofileno é altamente anti-inflamatório e também possui propriedades antibacterianas que podem ser especialmente benéficas para a saúde intestinal.

Linalol

O linalol é um terpeno de aroma delicioso, encontrado em muitas plantas com flores, em especial na lavanda. Apreciado desde a antiguidade por ser tão agradável, o linalol parece ser mais comum nas cepas de cannabis de uso medicinal que apresentam tons de roxo.

De efeito extremamente calmante, o linalol é capaz de relaxar o próprio sistema nervoso central, o que também promove a boa saúde. Também pode reduzir a dor e problemas neurodegenerativos, e parece potencializar os efeitos de canabinoides como o CBD.

α-pineno

Como o nome sugere, o alfa-pineno é encontrado em pinheiros. Mas também está presente no alecrim, manjericão e em muitas variedades de cannabis. O pineno favorece a concentração e a memória, e é responsável por muitos dos benefícios do chamado “banho de floresta”. Quando fumado ou vaporizado, o terpeno atua como broncodilatador, mas também pode ter efeito calmante em pessoas que sofrem de câncer ou simplesmente de ansiedade.

Ocimeno

O ocimeno é encontrado em todo o mundo herbal, principalmente em hortelã, salsa e manjericão. Seu aroma é doce e terroso; você pode detectar toques de ocimeno em cepas icônicas de cannabis, como a OG Kush. O composto é antiviral, antifúngico e praticamente “antiqualquer coisa ruim”.

Nerolidol

Outro terpeno terroso e amadeirado, o nerolidol tem algumas qualidades médicas promissoras. Atualmente, está sendo estudado por sua capacidade de aumentar a absorção transdérmica de outros medicamentos (e presumivelmente de outros compostos de cannabis também), além de já ter se provado um agente antiparasitário. Isso pode ser uma boa notícia para quem sofre de problemas que vão da doença de Lyme a infecções por estafilococos.

Fitol

O fitol é derivado da clorofila, portanto não é surpresa que esse terpeno seja mais comumente encontrado no chá verde – e na cannabis – bem como em quaisquer outras plantas verdes. O fitol pode promover o relaxamento interagindo com o receptor GABAA, um receptor de neurotransmissor que impede a hiperatividade do cérebro. Curiosamente, o fitol também parece proteger contra a potencial toxicidade de vitaminas.

Terpenos: Ainda Melhor Quando Reunidos

Se os benefícios que cobrimos até aqui já são impressionantes, eles empalidecem quando analisamos o que acontece quando os terpenos são tomados juntos. É preciso lembrar que a planta de cannabis também contém canabinoides, flavonoides e calconas, além de terpenos. Isso resulta em um tipo especial de sinergia botânica, o que os cientistas chamam de efeito entourage.

Então, como os terpenos participam do efeito entourage? Em primeiro lugar, eles “atuam” em locais receptores diferentes dos canabinoides. O terpeno linalol de lavanda, por exemplo, demonstrou ativar os receptores TRPA1, os quais ajudam o corpo a detectar danos químicos e/ou oxidativos, enquanto o CBD demonstrou ativar os receptores TRPV1 que ajudam a detectar o calor e regular a percepção da dor.

O que se viu foi que o sistema endocanabinoide e outras vias de sinalização estão sutilmente ligadas; há uma “conversa cruzada” entre eles, como dizem os pesquisadores. O que favorece e melhora a sinalização em um dos sistemas provavelmente será repassado ao outro. Isso indica que os terpenos são capazes de aprofundar e ampliar os impactos da cannabis como um todo. Os terpenos também podem neutralizar ou aumentar os efeitos psicotrópicos da cannabis.

Em geral, os terpenos parecem fortalecer os canabinoides. Isso pode ser causado por alterações conformacionais que ocorrem nos receptores endocanabinoides quando os terpenos estão presentes. Outro ponto relevante é que os terpenos são moléculas muito menores do que os canabinoides e, portanto, juntar os dois pode potencializar todos os tipos de absorção, da transdérmica à oral. Essa mesma qualidade física significa que os terpenos também podem passar com facilidade pela barreira hematoencefálica, ajudando os canabinoides a fazer o mesmo.

Terpenos como Medicamento

Embora ainda haja muito a aprender sobre terpenos, canabinoides e sua sinergia quando combinados, as descobertas feitas até agora mostram claramente que os terpenos têm um incrível potencial médico. É muito provável que venham a contribuir para o tratamento de algumas ou todas as seguintes doenças no futuro:

  • Ansiedade
  • Asma
  • Infecções bacterianas
  • Câncer
  • Dor crônica
  • Depressão
  • Síndrome do Cólon Irritável (SCI)/ Problemas Gastrointestinais
  • Insônia
  • Neurodegeneração

Esta lista é apenas um primeiro esboço, pois certamente há inúmeras outras aplicações a descobrir. Destacamos que muitos estudos já descobriram os benefícios à saúde de um ou dois terpenos isolados, mas o que poderíamos esperar de combinações adicionais?

Até que as interações entre terpenos sejam mais plenamente compreendidas, nossa melhor opção é ingeri-los por meio de um dos métodos de apresentação mais testados ao longo da história: a própria cannabis. É provável que a natureza seja realmente sábia, e que sua mistura natural de terpenos, canabinoides e outros compostos funcione melhor para otimizar a saúde humana.

Leave a comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.

By clicking "Post Comment" you agree to our Privacy Policy and to joining The Cannigma mailing list.

Você Há de Gostar

Associações canábicas: porta de entra...
Associações canábicas: porta de entrada legítima ao universo da cannabis medicinal
Estudo: cannabis na gravidez pode estar ...
Estudo: cannabis na gravidez pode estar associado a autismo em bebês
Cultivo da cannabis: como evitar mofo, ...
Cultivo da cannabis: como evitar mofo, fungo e bactéria
7 formas fascinantes com as quais a cann...
7 formas fascinantes com as quais a cannabis afeta o seu corpo

Mais Artigos

Associações canábicas: porta de entra...
Associações canábicas: porta de entrada legítima ao universo da cannabis medicinal
Estudo: cannabis na gravidez pode estar ...
Estudo: cannabis na gravidez pode estar associado a autismo em bebês
X