Home Fisiologia Como a cannabis afeta sua memória

Inscreva-se

Advertisement

Home / Fisiologia / Como a cannabis afeta sua memória

Como a cannabis afeta sua memória

Memory remembering

O principal produto ativo da cannabis, o tetrahidrocanabinol (THC), pode ter um impacto negativo na memória de curto prazo. Algumas pesquisas até apontam para problemas de memória e alterações cerebrais em usuários de longo prazo. Ainda assim, dados também sugerem que o uso do canabidiol (CBD) pode reverter ou prevenir esses problemas – e que tanto o CBD quanto o THC podem ter grandes benefícios potenciais para aqueles que sofrem de Alzheimer.

A cannabis tem uma ampla gama de benefícios medicinais e de bem-estar, mas muitos se preocupam com seu possível impacto na memória. Essas preocupações não são infundadas, sugerem pesquisas, mas essa questão também não é totalmente negativa.

Advertisement

Como a Cannabis Interage com a Memória

Para entender como a cannabis interage com a memória, primeiro precisamos entender como a planta interage com o corpo como um todo por meio do sistema endocanabinoide. Este sistema, encontrado em humanos e em todos os outros vertebrados, está sempre em ação no corpo, mas também interage com os canabinoides encontrados na planta.

O sistema endocanabinoide como um todo tem a tarefa de manter a homeostase ou o equilíbrio do corpo humano. Para fazer isso, ele regula uma série de funções corporais, como sono, fome, energia, temperatura, dor e função imunológica. É importante ressaltar que também ajuda a regular os processos que envolvem a memória e o aprendizado.

Há fortes evidências de que o sistema endocanabinoide está envolvido na regulação da memória e, em particular, que o receptor de canabinoide CB1 é importante para esse processo. Estudos em animais e humanos descobriram que a ativação de CB1 com o endocanabinoide anandamida – bem como THC e versões sintéticas de THC – pode causar déficits na memória de curto prazo.

Em estudos com animais, tanto roedores quanto macacos-esquilo tiveram pior desempenho em tarefas de aprendizagem espacial quando CB1 foi ativado. Os pesquisadores foram capazes de reverter esse efeito com o medicamento rimonabanto, que desativa a atividade do CB1, levando a mais evidências de que o CB1 está envolvido. Alguns pesquisadores levantaram a hipótese de que esse efeito se deve à alta densidade de receptores CB1 no hipocampo, que também está envolvido em tarefas de memória.

Os Benefícios da Cannabis para a Memória

Quando se trata do efeito da cannabis na memória, as evidências sugerem que pode ser prejudicial ou benéfico, dependendo de uma série de fatores. Do lado benéfico, há um crescente corpo de evidências apontando para a cannabis como um potencial tratamento para a doença de Alzheimer.

No estudo do Alzheimer, uma das principais marcas da doença é o acúmulo de placas beta-amilóides tóxicas, que se acumulam no cérebro fora dos neurônios. Isso mata neurônios, levando a graves deficiências cognitivas e problemas de memória. Mas a pesquisa sugere que a cannabis, particularmente seus canabinoides ativos THC e CBD, podem ajudar a retardar a progressão da doença de Alzheimer, reduzindo os níveis de beta-amilóide no cérebro, bem como melhorando outros fatores importantes relacionados à doença.

Casal idoso olha álbum de fotos
Estudos com pacientes com Alzheimer que utilizam cannabis mostraram resultados positivos. (gpointstudio/123rf)

Em um estudo, por exemplo, os pesquisadores descobriram que o THC é capaz de reduzir os níveis de beta-amilóide no cérebro e impedir que ele se acumule no cérebro, interagindo com os peptídeos beta-amilóides. Também foi capaz de reduzir GSK-3 (outro marcador importante para a doença de Alzheimer) e aumentar a função mitocondrial, que é disfuncional na doença de Alzheimer.

Um pequeno estudo em humanos em 11 pacientes usando THC para tratar os sintomas da doença de Alzheimer descobriu que ele era seguro e bem tolerado. Os pacientes que o usaram por quatro semanas tiveram reduções significativas nos delírios relacionados à condição, bem como melhora na agressão, irritabilidade, apatia, sono e angústia.

Advertisement

No entanto, o THC sintético não mostrou um desempenho tão bom. Dois estudos usando THC sintético descobriram que, embora fosse seguro e bem tolerado, não oferecia aos pacientes nenhum efeito terapêutico significativo.

Estudos que analisam o CBD também encontraram resultados positivos. Uma revisão da pesquisa existente, incluindo estudos em humanos, animais e de laboratório, descobriu que o CBD protegeu as células da toxicidade beta-amilóide, aumentou a sobrevivência celular e encorajou o crescimento de novos neurônios no hipocampo, além de melhorar outros fatores envolvidos com a doença de Alzheimer. Os pesquisadores também descobriram que quando o THC e o CBD são usados ​​juntos, o efeito é ainda mais substancial, sugerindo que esse tratamento com canabinoides combinados deve ser investigado mais a fundo.

Older woman thinking
Muitos terpenos encontrados na cannabis ajudam pacientes com demência e problemas cognitivos. (fizkes/123rf)

Mas a maconha é mais do que apenas THC e CBD. Outras moléculas encontradas na cannabis, como os terpenos, também apresentam potencial como tratamento para a demência. Mais notavelmente, pineno, limoneno e beta-cariofileno (BCP) parecem interagir com os beta-amilóides, embora todas as pesquisas tenham sido conduzidas em laboratórios ou em animais. O pineno também demonstrou reduzir alguns dos efeitos negativos do THC na memória.

Um estudo sugeriu um “possível potencial neuroprotetor do alfa-pineno para o tratamento da demência com aprendizagem e perda de memória”.

Os autores de outro estudo escreveram que “espera-se que altos níveis de limoneno em alimentos ou medicamentos ajudem a tratar ou prevenir a doença de Alzheimer”.

O beta-cariofileno, administrado por via oral em um estudo com camundongos, demonstrou prevenir o comprometimento cognitivo.

As evidências são preliminares e baseadas inteiramente em modelos animais, mas os terpenos podem explicar os diversos efeitos cognitivos de diferentes variedades de cannabis.

A Maconha Faz Mal à Memória?

Embora a cannabis possa trazer benefícios para quem sofre de Alzheimer, outras pesquisas apontam para os potenciais efeitos prejudiciais da cannabis na memória. Por um lado, a cannabis é conhecida por produzir um leve comprometimento da memória de curto prazo para alguns que estão ativamente sob seu efeito. Ainda assim, não está totalmente claro se esses efeitos ocorrem em todos os usuários de cannabis. Por exemplo, em uma pesquisa com 1.333 usuários britânicos de cannabis, apenas um pequeno subconjunto (6,1%) relatou memória prejudicada.

Advertisement 4

Essas mudanças geralmente são revertidas algum tempo depois que o alto consumo de cannabis diminui, embora haja alguma discordância sobre por quanto tempo. Alguns relatam que esses efeitos diminuem depois que o barato passa, enquanto outros dizem que pode perdurar. Um pequeno estudo com adolescentes dependentes de cannabis descobriu que os indivíduos usuários de cannabis tinham déficits de memória de curto prazo que duraram seis semanas após o último uso de cannabis. Ainda assim, com um tamanho de amostra tão menor, mais pesquisas são necessárias para confirmar esses resultados. Uma revisão muito mais ampla de 69 estudos não encontrou evidências de déficits cognitivos após 72 horas de abstinência de cannabis.

Casal ansioso
Estudos apontaram que usuários assíduos da cannabis podem apresentar problemas de memória. (Cathy Yeulet/123rf)

Ainda assim, outros estudos descobriram que o uso prolongado ou muito frequente de cannabis também pode levar a problemas com a memória de trabalho e a memória episódica verbal, com deficiências na codificação, armazenamento e recuperação de memórias. E algumas alterações foram encontradas na estrutura e função do cérebro para usuários de cannabis, especificamente nas áreas do cérebro que suportam o processamento da memória.

Alguns estudos descobriram que os usuários de cannabis tinham maior ativação em áreas do cérebro relacionadas à memória espacial. Os pesquisadores levantaram a hipótese de que estavam “trabalhando mais arduamente” para compensar as mudanças no cérebro causadas pela cannabis.

Curiosamente, algumas pesquisas sugerem que o CBD pode aliviar os problemas de memória induzidos pelo THC da cannabis. Comparando os usuários de cannabis que usaram cannabis com alto teor de THC com aqueles que usaram a mesma quantidade de THC junto com grandes quantidades de CBD, um estudo descobriu que o segundo grupo não tinha prejuízo de memória. Isso sugere que o CBD pode ter um efeito protetor para a memória, essencialmente protegendo-a dos impactos do THC.

Para aqueles que estão preocupados com os efeitos negativos da cannabis na memória, pode-se considerar a utilização de extratos de plantas inteiras com um THC balanceado: perfil de CBD e outros canabinoides e terpenos como cannabicromene (CBC), cannabigerol (CBG), limoneno, pineno e beta-cariofileno.

Leave a comment

Você Há de Gostar

Controle da umidade e a rega no cultivo ...
Controle da umidade e a rega no cultivo da cannabis
Dicas de temperatura e irrigação para ...
Dicas de temperatura e irrigação para fazer sua cannabis feliz
O bê-a-bá do solo para o cultivo de ca...
O bê-a-bá do solo para o cultivo de cannabis
A anatomia e a botânica da cannabis
A anatomia e a botânica da cannabis

Mais Artigos

Controle da umidade e a rega no cultivo ...
Controle da umidade e a rega no cultivo da cannabis
Dicas de temperatura e irrigação para ...
Dicas de temperatura e irrigação para fazer sua cannabis feliz