Inscreva-se

Home > Fisiologia > Como Atenuar Efeitos Colaterais da Cannabis
1.3k
8 min

Como Atenuar Efeitos Colaterais da Cannabis

Há muitas evidências quanto à ajuda que a cannabis oferece para diferentes problemas médicos. No entanto, como qualquer outro elemento que entra em contato com o seu corpo, ela pode provocar efeitos colaterais por vezes planejados, outras vezes simplesmente indesejáveis.

Como em muitos outros aspectos de nossa vida, a moderação é fundamental. A natureza bifásica da cannabis a torna única: doses baixas e altas podem ter efeitos opostos.

Os efeitos colaterais indesejados podem variar em termos de gravidade, desde casos levemente desconfortáveis até reações raras que exigem atenção médica. Neste artigo, você encontrará uma lista abrangente desses efeitos colaterais, além de dicas sobre como aliviar seus sintomas – e evitá-los o máximo possível. 

Leia-o para tomar decisões mais acertadas sobre o uso de cannabis, e não hesite em entrar em contatar seu médico se tiver alguma dúvida sobre os efeitos que a maconha medicinal pode ter sobre você.

Efeitos Colaterais Leves

Esses efeitos colaterais são alguns dos mais relatados entre os usuários de marijuana e tendem a ser leves em termos de gravidade.

Olhos Vermelhos e Secos

O sinal mais revelador de que alguém acabou de consumir cannabis são os desconfortáveis olhos vermelhos e secos. A cannabis pode agir como um vasodilatador natural, reduzindo a pressão do sangue por meio da dilatação de capilares e vasos sanguíneos. Essa dilatação aumenta o fluxo de sangue na área, causando assim a vermelhidão. 

Colírios costumam minimizar o desconforto ou a secura. Você também pode beber água para ajudar a restaurar a umidade dos olhos. Vasoconstritores — compostos que contraem os vasos — também podem ajudar a diminuir a vermelhidão dos olhos. 

Relatos sugerem que optar pelas cepas ricas em canabinoides menores, como CBG ou CBN, também podem ajudar a reduzir a vermelhidão nos olhos.

Boca Seca

Chamada cientificamente de xerostomia, a boca seca ocorre quando os canabinoides se ligam às glândulas submandibulares em nossas bocas. Isso faz com que elas parem de receber mensagens do sistema nervoso parassimpático que as instruem a produzir saliva, resultando na consequente diminuição de sua produção. 

muitas formas diferentes de você lidar com a boca seca. Você pode beber mais água, chupar pedaços de gelo, chiclete ou até consumir pastilhas especiais. Você também deve evitar o uso simultâneo de álcool ou tabaco, pois eles podem deixar a boca seca. Evite bebidas com altos níveis de taninos, como vinho ou certos chás, pois também podem ressecar a boca.  

Em vez de fumar a cannabis, usar um vaporizador também pode ajudar a reduzir a secura na boca.

Larica

Um dos efeitos colaterais mais amplamente descritos da cannabis é a larica, ou a sensação de fome intensa. Você pode tomar algumas medidas para combatê-la.

Acredita-se que certos canabinoides têm propriedades inibidoras de apetite. Um canabinoide potencial que pode ter esse efeito é o tetra-hidrocanabivarina (THCV). O THCV pode ser encontrado em níveis mais altos em certas cepas como Durban Poison.  

As cepas ricas em CBD também podem reduzir o apetite, pois ele se liga aos receptores CB1 do corpo. Acredita-se que esses receptores modulam o apetite e a saciedade. O CBD e o THCV atuam como antagonistas no CB1, impedindo a ligação de outros compostos. Teoricamente, isso pode bloquear a capacidade do receptor CB1 de estimular o apetite.

Foto ilustrativa de uma mulher com larica. (Shutterstock)

A tentação pode ser forte, mas alimentos salgados e açucarados podem exacerbar a larica em vez de aliviá-la. “Alimentos e bebidas doces e salgados são incrivelmente viciantes”, diz Kristin Kirkpatrick, MS, RD, LD (Mestre em Ciências, Dietista Registrada e Dietista Licenciada). “Eles desencadeiam a liberação de dopamina, uma substância química do cérebro que nos motiva a ir em busca comportamentos gratificantes”. Como nossa tolerância a esses tipos de alimentos aumenta com o tempo, para satisfazer o desejo precisaremos cada vez mais de maiores quantidades, criando um vício.

Em outras palavras, comer alimentos doces e salgados é algo tão saboroso que isso inevitavelmente desencadeará um ciclo no qual você não deixará de desejá-los cada vez mais.

Habilidades Motoras e Reações Lentas

Alguns usuários podem experimentar tempos de reação comprometidos ou sonolência ao consumir cannabis (é por isso que você nunca deve fumar e dirigir). Os tempos de reação dependem de vários fatores. 

Um desses fatores são os níveis de dopamina do indivíduo. Ela desempenha um papel crucial no movimento voluntário. Em excesso ou escassa, a dopamina pode causar prejuízos cognitivos. Acredita-se que esta seja uma das razões pelas quais os usuários de cannabis podem sofrer deficiências cognitivas, como tempos de reação lentos. Exercitar-se é uma maneira de fazer com que seu corpo produza mais dopamina.

Embora a sensibilidade à cannabis possa variar muito entre os indivíduos, acredita-se que a disfunção cognitiva depende da dose. Pesquisas sugerem que “o uso muito constante” de cannabis está associado a um declínio no desempenho cognitivo. Você pode regular esse efeito colateral simplesmente monitorando sua dose ou mesmo recorrendo a microdosagens (consumindo quantidades muito pequenas de cannabis distribuídas ao longo do tempo). 

Sonolência

Outro efeito colateral comum relatado com o uso de cannabis é a sonolência. Usuários que experimentam sonolência ao tomar medicamentos podem recorrer a uma cepa sativa energética. Estas, como a Blue Dream, tendem a ser ricas em limoneno e pineno.

Você também pode recorrer a uma soneca curta reparadora. Quem não consegue cochilar, sempre pode consumir cafeína para combater qualquer sonolência.

Problemas de Memória

Contrariamente à crença popular, é improvável que uma dose única de THC (Delta-9) “tenha efeitos persistentes na função de memória”. Uma equipe de pesquisadores descobriu que a administração oral de THC prejudicou a memória episódica e a recordação verbal por duas horas. Não havia nenhum efeito residual depois de 24 ou 48 horas.

O CBD, no entanto, pode colaborar na proteção de quaisquer déficits de memória de curto prazo causado pelo THC, ajudando a reverter assim efeitos cognitivos negativos. Outras pessoas podem experimentar um alívio dos sintomas indesejados após um período de abstinência de canabinoides. 

Os pacientes também podem tentar consumir canabinoides com propriedades neuroprotetoras, como o CBG (canabigerol), para minimizar o estresse oxidativo e o dano ao cérebro. Certas classes de ervas adaptogênicas também podem ser utilizadas com esse fim. 

Efeitos Colaterais Graves

Os seguintes efeitos colaterais podem variar de levemente desconfortáveis aos que requerem atenção médica – embora isto seja bastante raro. Ainda assim, você deve sempre ter cuidado ao consumir cannabis.

Paranoia e Ansiedade

Paranoia e ansiedade são dois marcos típicos dos efeitos colaterais negativos da cannabis. Esses sintomas podem ser leves para alguns ou mais drásticos no caso de populações vulneráveis, como aquelas com certos distúrbios de saúde mental

Felizmente, existem muitas coisas que você pode fazer para combater a paranoia e a ansiedade, inclusive:

  1. Evite o uso simultâneo de estimulantes (álcool, cafeína e nicotina), pois podem agravar os efeitos colaterais negativos da cannabis de várias maneiras. Pequenas quantidades de álcool, por exemplo, podem aumentar significativamente a quantidade de THC no sangue.
  2. Prefira cepas ricas em CBD com perfis de terpenos complementares (ou seja, ricos em linalol). Você também pode optar por consumir produtos que contenham Delta-8 THC em vez do tradicional Delta-9 THC, mais psicoativo. Marcas como Oregrown e Marley Natural têm disponíveis cartuchos de vaporização ricos em Delta-8.
  3. Consuma CBD, porque ele pode potencialmente reduzir os efeitos negativos do THC. Algumas das formas de apresentação de consumo mais rápido de CBD incluem o uso de vaporizadores, o consumo de concentrados ou de até mesmo uma tintura por via sublingual.
  4. Exercite-se! Você vai perceber que uma caminhada lhe é de grande ajuda. Outros acham que a ioga é especialmente calmante. A dança é outra opção. Você também pode optar por um banho frio. Escolha uma atividade física e mexa-se.
  5. Muitas pessoas relatam que mastigar pimenta preta pode reduzir sentimentos de ansiedade associados ao “high”. Isso ocorre porque seus grãos contêm o terpeno mirceno, que é conhecido por suas propriedades calmantes e sedativas. Você também pode fazer limonada fresca, pois acredita-se que os terpenos cítrico e limoneno causam efeitos semelhantes.
  6. Apenas respire. Você pode empregar uma variedade de exercícios de respiração profunda (“respiração diafragmática”) para ajudar a aliviar o desconforto do corre-corre ou pensamentos ansiosos.
  7. Tente ouvir música inspiradora ou relaxante.

Frequência Cardíaca Alta (Taquicardia)

Alguns usuários de cannabis também podem ter uma frequência cardíaca aumentada ou irregular (taquicardia) devido às suas propriedades bifásicas. Baixas doses de cannabis, por exemplo, resultam no aumento da atividade do seu sistema nervoso simpático, responsável pela resposta de “lutar ou fugir”. Isso pode gerar taquicardia. 

O aparecimento desse problema de saúde pode começar alguns minutos após a inalação da cannabis, atingindo o pico aos 30 minutos. Os efeitos podem persistir por 90 minutos ou mais. Você pode minimizar o risco de taquicardia ao evitar o uso de cannabis com cafeína.

A primeira coisa a fazer ao experimentar uma taquicardia é respirar fundo. Lembre-se de que o uso de cannabis é seguro e nunca houve relatos de mortes atribuídas ao uso exclusivo de cannabis.

Você pode empregar uma variedade de técnicas para tratar a taquicardia. Isso inclui o uso de CBD (vaporizado ou concentrado), técnicas de respiração diafragmática, yoga ou banho frio. Exercícios vigorosos também podem ajudar. 

Casos extremos podem exigir cuidados especializados. Isso pode incluir medicamentos antiarrítmicos administrados por via intravenosa em um hospital. 

Psicose Desencadeada / Induzida

O efeito colateral negativo mais extremo que pode advir do uso da cannabis é a psicose induzida ou a manifestação de sintomas psicóticos.

Se você já teve sintomas psicóticos no passado, antes mesmo de tentar usar a cannabis é absolutamente necessário falar com um médico, de preferência um psiquiatra com experiência na prescrição da planta.  

Você pode atenuar suas chances de psicose induzida optando por cepas de cannabis ricas em CBD, CBG ou CBN. 

Se você tiver sintomas psicóticos, tente aliviá-los administrando CBD (vaporizado, inalado ou concentrado). Se você estiver com outra pessoa, peça a ela para avaliar a situação (e acompanhá-lo caso tenha que ir ao hospital). Uma ida ao pronto-socorro garantirá a você um espaço seguro até que os efeitos intoxicantes desapareçam e você se sinta melhor. Você provavelmente receberá medicamentos como benzodiazepinas, antipsicóticos (Haloperidol), medicamentos ansiolíticos (Valium) ou sedativos, como Lorazepam. 

Prevenção dos Efeitos Colaterais da Cannabis

Você pode minimizar os possíveis efeitos colaterais negativos da cannabis com um pouco de planejamento. Considere o seguinte ao determinar qual método de consumo é adequado para você:

Cepa

Que problema de saúde você está procurando aliviar? Algumas cepas de cannabis atuam melhor que outras, e é por isso que é uma boa ideia procurar a variedade adequada à sua doença. 

Indica e Sativa são dois fenótipos diferentes (expressões físicas) da planta da cannabis. As experiências que você provavelmente terá com cada uma dependem de uma ampla gama de fatores seus, como idade, peso ou metabolismo. Como essas experiências são amplamente subjetivas, é difícil dizer com segurança como cada tipo de cannabis poderá afetá-lo. No entanto, você pode levar em consideração as experiências de outros usuários para ajudar na escolha de uma variedade.

As Indicas, por exemplo, são frequentemente usadas por pacientes com distúrbios do sono. As Sativas, por outro lado, tendem a ser mais enérgicas. Híbridas, como o próprio nome sugere, são uma mistura das duas.

Algumas pessoas são especialmente sensíveis à estimulação cerebral potencialmente “vigorosa”, característica das Sativas, e podem preferir optar por uma cepa Indica.

Teor de Canabinoides e Terpenos

A melhor maneira de determinar se uma cepa é ideal para você é pelo exame do seu teor de canabinoides e terpenos. Você pode encontrar essas informações em um Certificado de Análise, geralmente emitido por um laboratório terceirizado, que discrimina o conteúdo da sua cannabis.

Certos canabinoides são mais adequados para problemas de saúde específicos. O composto Delta-8 THC, por exemplo, geralmente é considerado mais “terapêutico”, pois é menos psicoativo do que o Delta-9 THC padrão. Aprender mais sobre as propriedades exclusivas de cada canabinoide pode ajudá-lo a determinar qual é cepa ideal para você.

Isso também se aplica ao teor de terpenos. Você pode minimizar as chances de efeitos colaterais negativos, como ansiedade ou paranoia, procurando por cepas que sejam ricas em certos terpenos. O terpeno linalol, por exemplo, é conhecido por seus efeitos calmantes e anti-ansiedade. Aqui estão algumas variedades populares ricas em linalol.

Aplicação (Forma de Consumo)

Algumas formas de consumo são preferíveis a outras. Comestíveis, por exemplo, podem levar até duas horas para fazer um efeito que pode durar até oito horas. A vaporização de cannabis tem efeito quase instantâneo, mas ele é mais transitório, com duração de duas a três horas.  Usuários com baixa tolerância à cannabis devem procurar evitar formas de aplicação como o consumo de comestíveis ou concentrados, pois eles podem fornecer THC por um longo período de tempo. Por isso eles são associados a mais visitas ao pronto-socorro.

Leave a comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.

By clicking "Post Comment" you agree to our Privacy Policy and to joining The Cannigma mailing list.

Você Há de Gostar

Associações canábicas: porta de entra...
Associações canábicas: porta de entrada legítima ao universo da cannabis medicinal
Estudo: cannabis na gravidez pode estar ...
Estudo: cannabis na gravidez pode estar associado a autismo em bebês
Cultivo da cannabis: como evitar mofo, ...
Cultivo da cannabis: como evitar mofo, fungo e bactéria
A Cannabis Pode ser a Porta de Entrada a...
A Cannabis Pode ser a Porta de Entrada a Outras Drogas?

Mais Artigos

Associações canábicas: porta de entra...
Associações canábicas: porta de entrada legítima ao universo da cannabis medicinal
Estudo: cannabis na gravidez pode estar ...
Estudo: cannabis na gravidez pode estar associado a autismo em bebês
X