Inscreva-se

Home Produtos O Significado da Microdosagem da Cannabis
nov 19, 2019 Atualizado em maio 22, 2020 4 min de leitura

O Significado da Microdosagem da Cannabis

author
por Emily Earlenbaugh, PhD.
Revisão médica realizada por Roni Sharon, MD
Conta-gotas para método de microdosagem da cannabis

Impossível negar os benefícios medicinais da cannabis (e seus ingredientes ativos, como THC e CBD). Por isso, caso a planta o esteja ajudando com relação a seus problemas médicos, você talvez imagine que, quanto mais ingerir, melhor se sentirá. 

Mas o fato é que, frente a opções cada vez mais potentes, algumas pessoas estão optando por um caminho diferente. Em lugar de aumentar a ingestão de cannabis, elas estão diminuindo o consumo por meio de um processo denominado “microdosagem”. 

Vejamos, a seguir, como ela é realizada. 

O Que é Microdosagem? 

Microdosagem é a prática de tomar doses de medicamento muito menores do que as normalmente utilizadas. É uma prática usada com diferentes tipos de compostos, mas é discutida com mais frequência com relação a substâncias psicoativas como o LSD. Recentemente, muitos começaram a aplicar essa prática à cannabis e a seus compostos mais populares, o THC e o CBD. Uma razão para optar pela microdosagem de cannabis está no fato de o consumo de uma pequena quantidade ajudar o usuário a desfrutar de sua ação sem experimentar efeitos colaterais indesejáveis, como a sensação de “high”. A cannabis microdosada também está se mostrando útil para aqueles que buscam evitar o indesejado efeito bifásico. 

Para explicar isso de uma forma simples: quando uma substância (como o THC) apresenta efeito bifásico, significa que pode produzir dois efeitos opostos, dependendo da dose tomada. Um exemplo fácil de ser compreendido é o da ação do álcool que, em pequenas doses, faz com que a pessoa se sinta energizada, feliz e falante – mas, em grandes doses, pode deixar a pessoa sedada, deprimida ou antissocial. 

O efeito bifásico determina a reação que cada substância provoca no corpo humano. E, no caso da cannabis, diferentes efeitos bifásicos foram observados. 

Efeitos Bifásicos da Cannabis

Os dois ingredientes mais comuns e populares da cannabis, o THC e o CBD, apresentam uma variedade de efeitos bifásicos. Um dos mais comumente relatados é o do THC em relação à ansiedade. Enquanto muitos relatam que a cannabis ajuda a aliviá-la, outros dizem que a planta os deixa mais ansiosos e paranoicos. A ciência confirma essas alegações, mostrando que a dosagem tem impacto importante sobre como a planta e seus componentes desencadeiam ou controlam a ansiedade. Estudos em animais e humanos descobriram que, embora doses menores de THC tendem a aliviar a ansiedade, doses maiores podem aumentá-la. 

Em um estudo realizado com camundongos, aqueles que receberam doses baixas de THC passaram mais tempo em áreas abertas do que os do grupo de controle (uma indicação de ansiedade reduzida); já aqueles que receberam doses altas da mesma substância passaram menos tempo nesses espaços estressantes (sugerindo aumento da ansiedade). 

Em outro estudo, este realizado com 42 pacientes humanos, parte recebeu placebo, outra uma dose baixa de THC (7,5 mg) ou ainda uma dose elevada de THC (12,5 mg). Em seguida, todos foram submetidos a vários testes de indução ao estresse. Resultado: aqueles no grupo com baixo THC mostraram estresse reduzido durante os testes, enquanto que os que receberam a dose mais alta apresentaram-se mais inclinados a um aumento do estresse.  

Também foi realizado um estudo com um grupo de prisioneiros que sofrem de TEPT recebeu doses ainda mais baixas (4 mg) do canabinoide sintético Nabilona, o qual simula os efeitos do THC. Os pesquisadores descobriram que essa baixa dose resultou em melhora significativa na insônia, pesadelos, sintomas gerais e até dor crônica associadas a essa doença (TEPT).

No entanto, apesar do sucesso no tratamento da ansiedade por meio de doses mais baixas, a prescrição média dos produtos de cannabis é de aproximadamente 10 mg – o que pode ser alto demais para algumas pessoas. E não é só a ansiedade que pode ser tratada com  microdosagem. Efeitos bifásicos do THC foram observados na dor, regulação da temperatura, processamento motivacional, apetite e curiosidade, além de locomoção e exploração. Também foram encontradas respostas bifásicas para com o CBD em relação a efeitos como dor, sedação, alívio de náuseas e vômitos, e respostas imunes

Para muitos dos efeitos buscando com a cannabis, uma dose baixa pode ser a opção mais eficaz. 

Como Fazer a Microdosagem da Cannabis

How to Microdose Cannabis

Pesquisas sobre efeitos bifásicos sugerem que a microdosagem pode ser particularmente eficiente para pacientes que lidam com problemas relacionados a dor, apetite, energia ou humor, como ansiedade e depressão. Conforme já abordado, todas essas condições clínicas são motivações comuns para o uso de cannabis e estão sujeitas a apresentar reações bifásicas. Adotar a microdosagem pode ser, portanto, uma ótima estratégia para se chegar à dose ideal. 

Na microdosagem, os pacientes são aconselhados a usar a menor dose possível, a qual pode ser um pequeno trago via inalação, por meio de fumo ou vaporização, ou uma dose em torno de 2,5 mg em alimentos ou opções sublinguais. 

Microdosagem é Bom Para Todos?

Não há contraindicação para a cannabis microdosada (quando comparada à ingestão de doses maiores) em termos de risco. Para alguns, no entanto, esta pode não ser a melhor opção, uma vez que há pacientes que precisam de uma dose mais alta para controlar efetivamente seu sintoma. Tomemos, por exemplo, os estudos sobre enxaqueca que demonstraram que o alívio é normalmente alcançado com o uso de doses altas (em torno de 20 mg).

Ainda assim, no processo de descoberta da dose ideal, iniciar o tratamento com microdoses é uma boa estratégia. Ao começar dessa forma, os pacientes podem aumentá-la lentamente até encontrar a mais eficiente para seu caso em particular. À medida que aumentam as doses, o usuário também tem a oportunidade de perceber se há melhora de seus sintomas. Importante: caso se continue a aumentá-las, provavelmente se chegará a um ponto em que a cannabis provocará efeitos indesejáveis. Se isso acontecer, o paciente pode facilmente retornar à última dose que aliviou seus sintomas. 

Esse é um tema importante, pois cada um reage de forma diferente à cannabis. Além da doença tratada, os pacientes apresentam diferente sensibilidade aos efeitos da planta motivadas por padrões genéticos e experiências prévias com a cannabis (o que pode tornar o usuário tolerante a seus efeitos). 

Se você acha que a cannabis microdosada é a ideal para você, converse com um médico especializado em medicamentos canabinoides. Ele ajudará a garantir que você esteja no caminho certo antes de começar um tratamento ou de alterar o método atual de ingestão da cannabis.

Deixe um comentário