Home Fisiologia
Intervalos de consumo: isso vai ajudá-lo a diminuir sua tolerância ao THC

Intervalos de consumo: isso vai ajudá-lo a diminuir sua tolerância ao THC

Do tolerance breaks work?

Muitas pessoas que usam cannabis com frequência ou por um longo período se perguntam como diminuir a tolerância ao THC: intervalos de consumo, ou T-Breaks, pode ser a resposta.

O fato é que é comum que os efeitos psicoativos se reduzam com o passar do tempo. Se antes eram necessárias apenas algumas tragadas ou gotas, com o tempo você pode perceber que seu nível de tolerância aumentou – e, com isso, também a quantidade de cannabis que você precisa consumir para obter um determinado efeito.

Às vezes, sua busca pode se tornar uma bola de neve. Ou seja: sua tolerância aumenta, você aumenta a quantidade de cannabis consumida, só para observar que sua tolerância aumentou ainda mais.

O inverso também é verdadeiro. Usuários regulares de cannabis que tiveram que interromper temporariamente seu consumo – seja porque estão estudando para provas importantes, começando em um novo emprego ou engravidaram, por exemplo – às vezes percebem que, ao retomar o uso, voltam a se sentir como no início.

E daí você pensa: como seria bom se fosse sempre assim…

Por que criamos tolerância ao THC?

O THC é o principal canabinoide responsável pelos efeitos psicotrópicos e eufóricos da maconha, ou o que as pessoas normalmente chamam de high. Ele age ao ativar um receptor no sistema nervoso central chamado CB1, parte do sistema endocanabinoide do corpo (SE). O SE desempenha um papel na regulação de funções essenciais do organismo, como sono, dor, humor e apetite. Ele pode ser modulado pelos próprios endocanabinoides (do corpo) ou aqueles produzidos pela cannabis (fitocanabinoides).

Em um estudo de 2016, foram analisados fumantes usuais de cannabis. A conclusão: a disponibilidade do receptor CB1 “foi diminuída na maioria das regiões do cérebro”.

Os participantes foram então divididos em dois grupos: um foi convidado a se abster do uso da planta por dois dias e, o outro, por 28. Percebeu-se que a disponibilidade do receptor começou a aumentar dentro de apenas dois dias de pausa, e ele assim permaneceu por outras quatro semanas. Os pesquisadores também observaram que, após quatro semanas de abstinência, o nível constatado não atingiu o mesmo padrão do grupo de controle (grupo que serve como referencial comparativo, em que o fator testado não é aplicado).

Eles acrescentaram, entretanto, que os resultados podem ter algo a ver com o pequeno tamanho da amostra (11 usuários constantes de maconha e 19 não usuários) e que não está claro se a suprarregulação do CB1 é mantida por um prazo além das quatro semanas.

Em outras palavras, os pesquisadores descobriram que o uso diário de cannabis diminui a disponibilidade do receptor CB1 – e, portanto, os efeitos do THC –, mas que em apenas dois dias de abstinência, a disponibilidade do receptor aumenta.

Importante citar que a pesquisa analisou apenas a quantidade de cannabis consumida por cada participante. Ou seja, não se levou em consideração o fato de diferentes variedades de maconha apresentarem diferentes quantidades de THC. Ou seja: um cigarro com níveis mais altos de THC pode ser o equivalente a dois ou até três com menores quantidades.

Quais efeitos são reduzidos pelo uso frequente?

De acordo com uma revisão sistemática de 2018, “a função cognitiva é o domínio que mostra o maior grau de tolerância em usuários regulares; já os efeitos psicotrópicos, psicotomiméticos (criando um efeito de percepção alterada) e cardíacos mostram apenas tolerância parcial”.

A frequência do uso de cannabis pode ter efeito também sobre a intensidade de seus efeitos, de acordo com outro estudo de 2016.

Os pesquisadores descobriram que “isso sugere que o efeito psicotrópico e o comprometimento psicomotor provocados pela cannabis diminuem na medida em que aumenta a frequência de seu uso”.

Você pode ser imune ao THC?

Você já pode ter ouvido falar de pessoas que não sentem nenhum efeito do THC ou dizem que são totalmente “imunes” a ele. Algumas pesquisas forneceram pistas do porquê isso acontece. De acordo com um artigo publicado em 2014 no site Science, testes realizados em roedores descobriram que o THC e outras drogas aumentam a produção do hormônio pregnenolona. No estudo, ele “antagonizou a maioria dos conhecidos efeitos comportamentais e psicossomáticos do THC”.

O artigo revelou que o THC “aumenta substancialmente a síntese de pregnenolona no cérebro por meio da ativação do receptor canabinoide tipo 1 (CB1). A pregnenolona, agindo como um inibidor específico de sinalização do receptor CB1, reduz os efeitos do THC”.

O estudo descobriu que, ao injetar-se altos níveis de THC em roedores, seus organismos produziram este hormônio para neutralizar os efeitos. O estudo leva a crer que, em algumas pessoas, a alta produção desse hormônio de fato neutralizam por completo os efeitos do canabinoide psicoativo.

Como posso diminuir a tolerância ao THC?

Se você está procurando reavivar os efeitos iniciais do THC, pode considerar fazer o que é conhecido como “quebra de tolerância” ou “T-break”. Esta é uma pausa de curto prazo do uso da cannabis que pode ajudá-lo a reduzir sua tolerância.

Como o estudo mencionado acima atesta, em apenas alguns dias até mesmo um usuário inveterado pode notar que conseguiu diminuir a tolerância o THC. E se você não consumir por mais tempo, por uma semana ou mais, poderá descobrir que, quando estiver pronto para voltar, o efeito psicotrópico será significativamente mais forte do que antes.

Quebras de tolerância e cannabis medicinal

Para pacientes de cannabis medicinal que tratam de doenças que por vezes exigem dosagens mais altas de THC (como no caso daqueles em tratamento quimioterápico), aplicar um intervalo pode não ser uma boa ideia. Assim, se você não está sentindo os efeitos de alteração da mente da cannabis, mas ainda está obtendo alívio para sua condição, talvez essa medida não seja necessária. Por vezes, a tolerância aumentada é inclusive desejável, especialmente para pacientes que não gostam da sensação de high provocada pelo THC.

Vale lembrar que algumas doenças não respondem necessariamente melhor a doses altas de THC. A dor crônica, por exemplo, pode de fato responder igualmente bem a doses menores ou microdoses.

Se sua rotina diária inclui várias sessões de consumo de cannabis, para reduzi-las há de ser necessário preencher algumas lacunas. Considere incorporar exercícios físicos ou atividades ao ar livre, se sua saúde permitir, ou encontre hobbies e novas rotinas para passar o tempo.

Por fim, se você suspender temporariamente o consumo de cannabis, especialmente em uma pausa significativamente longa, certifique-se de não apenas mergulhar de volta em seus antigos níveis de ingestão. Na primeira vez que você consumir depois de uma semana de abstenção, provavelmente sentirá o efeito potente do THC. Portanto, vá devagar e ouça o seu corpo.

Thanks for your feedback!

Sign up for bi-weekly updates, packed full of cannabis education, recipes, and tips. Your inbox will love it.