Inscreva-se

Home Pesquisa Por Que Com a Cannabis Medicinal Menos Por Vezes É Mais
nov 10, 2019 4 min de leitura

Por Que Com a Cannabis Medicinal Menos Por Vezes É Mais

author
por Emily Earlenbaugh, PhD.

A cannabis alivia a ansiedade, mas também pode causá-la. A cannabis pode deixá-lo sonolento ou aumentar sua energia. A cannabis pode aliviar a dor mas, em alguns casos, piorá-la.

Alguns desses efeitos opostos podem acontecer devido às diferenças na composição química de um determinado produto de cannabis ou entre os indivíduos que a  utilizam. Há também outra explicação: a ração bifásica da cannabis.

Mas o que é uma reação bifásica? E o que significa encontrar a dose certa de cannabis para você?

Diz-se que um produto químico apresenta uma reação bifásica quando pode produzir dois efeitos opostos, relacionados com doses mais baixas ou mais altas.

Considere por exemplo os efeitos do álcool, uma substância conhecida que apresenta reação bifásica. Quando você toma um único drinque, há de sentir-se alegre, cheio de energia e pronto para se sociabilizar; mas, caso passe de algumas doses, o mais provável é que comece a oscilar entre o cansaço e a tristeza.

Esse tipo de efeito geralmente é representado com uma curva de reação. Se você fosse representá-la em um gráfico, de um lado veria de que forma um efeito (como o humor positivo que você experimenta com seu primeiro drinque) começa na sua linha de base e aumenta à medida que a dose de álcool também aumenta. Mas a partir de um certo momento, este efeito se reverte. Após este ponto, à medida que a dose continua aumentando, a curva do seu humor positivo diminui, e vai piorando à medida que você continua a beber. Isso cria uma curva em forma de sino – ou uma curva de reação bifásica.

Curvas de Reação Bifásica e Como Encontrar a Dose Certa

Em termos de dosagem, isso significa que, para obter o efeito desejado, você precisa saber qual é a dose ideal e, especificamente, qual é a dose certa para você. Voltando ao exemplo do álcool, sabe-se que a sensibilidade de cada pessoa a ele varia. Você pode não sentir nada com um único drinque e apenas alcançar a parte social feliz da sua curva de reação após algumas doses. Já outro pode tomar apenas alguns goles para chegar ao ponto ideal e começar a sentir-se desconfortável já no segundo drinque.

Em outras palavras, a dose ideal para qualquer substância que apresenta reação bifásica varia de acordo com o indivíduo – e assim cada um precisa concluir qual a sua dose ideal de pico de curva pouco antes de qualquer acréscimo causar a mudança de direção.

Esta curva de reação bifásica foi estudada em uma ampla variedade de substâncias como álcool, nicotina, anfetaminas, psicodélicos como a ayahuasca e muitos medicamentos, e é provocada também pelos dois canabinoides mais abundantes e utilizados medicinalmente – o THC e o CBD.

Evidências de Reações Bifásicas com Cannabis

Uma dos empregos mais comuns da cannabis medicinal é para o alívio da ansiedade, e os pacientes que a utilizam com esse fim relatam o efeito bifásico. Enquanto alguns afirmam que a cannabis tem sobre eles um efeito calmante, outros sentem-se mais ansiosos, criando inclusive uma sensação de paranoia. Isso é atribuído principalmente aos efeitos bifásicos do THC sobre a ansiedade, e foi demonstrado experimentalmente em diferentes experiências.

Em um estudo com ratos, foram ministradas a eles doses diferentes de THC e observadas as diferenças de comportamento. Aqueles que receberam doses mais altas evitavam permanecer em áreas abertas (um sinal de aumento da ansiedade nos ratos). Já aqueles que receberam doses mais baixas passaram mais tempo explorando a área. Esse resultado sugere que doses mais baixas reduziram a ansiedade nos animais, enquanto as mais altas a aumentaram.

Isso também foi replicado num estudo em humanos, no qual 42 pacientes receberam placebo, doses baixas (7,5 mg) ou doses mais altas (12,5 mg) de THC. Depois de vários testes de indução de tensão, foi solicitado que eles avaliassem seu próprio estresse. Assim como os ratos, aqueles que receberam baixa dose relataram ansiedade menor do que os que tomaram o placebo, enquanto aqueles que tomaram a dose alta experimentaram uma resposta de ansiedade aumentada. Embora 7,5 miligramas não seja uma dose excepcionalmente baixa, em outros experimentos doses de THC tão baixas quanto quatro miligramas também foram eficazes na redução dos sintomas de ansiedade em pacientes com TEPT.

Os efeitos bifásicos do THC também foram observados quando ministrados para regulação da temperatura, dor, apetite, processamento motivacional e busca por  novidades, além de locomoção e exploração.

Mas o THC não é o único elemento da cannabis que apresenta efeitos bifásicos.; outros semelhantes foram observados no CBD, um canabinoide medicinal sem o ativo psicotrópico do THC. Estudos em animais sobre CBD e dor, por exemplo, mostram que o CBD puro em doses mais baixas reduz as respostas à dor mas, em determinado estágio, pode efetivamente aumentar as respostas à dor. Curiosamente, quando a mesma dose de CBD é mantida em um extrato de cannabis de full spectrum (que inclui outros canabinoides encontrados naturalmente na planta de cannabis), essa curva relativa à dose desaparece. O CBD continua aumentando o alívio da dor à medida que a dose aumenta, sem apresentar limitação em seu efeito. Assim, entende-se que outros compostos da planta oferecem um tipo de proteção contra o efeito bifásico do CBD.

Reações bifásicas também foram observadas com o CBD para alívio de náuseas e vômitos. Em estudos com animais, o CBD reduziu náusea e vômito com doses baixas, mas pareceu aumentá-las frente a doses elevadas. Outros efeitos bifásicos, como sedação e reações imunes, também foram registrados no uso do CBD.

Trabalhando com Reações Bifásicas

Embora a natureza bifásica da cannabis pareça intimidadora a princípio, entendê-la irá ajudá-lo a utilizar melhor seu medicamento.

Isso é especialmente importante para as condições relacionadas aos efeitos bifásicos mencionados acima, como ansiedade e depressão, problemas de sono ou fadiga, náusea, dor, saúde imunológica ou problemas de obesidade e alimentação. Mas ele deve ser considerado sempre que você estiver tratando uma condição com cannabis. 

A conclusão é que a dose importa. Embora você possa pensar que mais é melhor, a ciência mostra que, às vezes, uma dose menor é mais eficaz. Para encontrar a sua dosagem ideal, trabalhe com um profissional de saúde especializado em medicamentos de cannabis. Ele poderá ajudá-lo a ajustar a dose certa. Ao começar com uma dose baixa (em torno de 2,5 mg) e aumentar gradualmente, você pode encontrar sua dose ideal e evitar acabar do lado errado da curva de reação bifásica.

Deixe um comentário